Make your own free website on Tripod.com

ATUAÇÃO DA IGREJA NO CHILE EM BUSCA DO PARADEIRO DOS "DESAPARECIDOS"

O porta-voz da Conferência Episcopal Chilena, o diácono e jornalista Enrique
Palet, anunciou que os bispos do país fazem um apelo formal a todas as
pessoas que possuam informações sobre o paradeiro de pessoas "desaparecidas"
durante o regime de Pinochet, para que revelem o que sabem. Palet destacou
que esse apelo é parte fundamental do acordo para recolher informações sobre
o destino dos desaparecidos durante os anos da ditadura do Gal. Augusto
Pinochet, acordo que prevê um prazo de seis meses - iniciado no dia 6 de
julho - durante o qual estará em vigor a obrigação do "segredo
profissional", a fim de contribuir para descobrir o paradeiro dessas
pessoas. As autoridades eclesiásticas estão coordenando critérios básicos
para o trabalho dos sacerdotes, tais como, colocar por escrito imediatamente
a informação que receberem, fazê-la chegar o mais rapidamente possível e
mediante a via mais segura, a seu Bispo, e conservar o segredo necessário no
decorrer de todo esse procedimento. Posteriormente, no momento em que cada
Bispo o determinar, os responsáveis de cada Diocese ou Arquidiocese farão
chegar essas informações ao Secretário-geral da Conferência Episcopal, que,
por sua vez, as enviará ao Presidente da República, como o dispõe a lei.
"Será o Presidente a entregá-las nas mãos da justiça", concluiu o porta-voz
do Episcopado chileno.


CEBs REPUDIAM NEOLIBERALISMO

O combate ao atual modelo econômico do País será a principal tarefa das
comunidades eclesiais de base (CEBs) nos próximos anos. De acordo com o
documento final do 10° Encontro Intereclesial, ``o neoliberalismo tira dos
pobres e excluídos o direito de sonhar'', cabendo às comunidades a missão de
``resgate do sonho'' e ``a construção de um projeto alternativo de
sociedade''. Na missa de encerramento do evento, no último sábado à noite, o
bispo da Diocese de Ilhéus, dom Mauro Montagnolli, disse que ``o grande
demônio de hoje é o neoliberalismo''. A missa foi rezada diante da catedral
de Ilhéus, no centro da cidade, com a presença de quase de três mil
representantes das CEBs de todo o País e romeiros de cidades vizinhas. Havia
cerca de 20 mil pessoas, segundo os organizadores. Dom Mauro fez a
referência ao demônio durante a homilia. Afirmou que as CEBs, ``a grande
força da sociedade na luta contra o arbítrio, no tempo da ditadura'', agora
estão sendo convocadas ``para combater o demônio do neoliberalismo, que
incentiva o egoísmo''.
A seguir, durante uma parte do ritual da missa na qual os fiéis proclamavam
comprometer-se com várias atividades no plano espiritual e material, o bispo
perguntou-lhes: ``Vocês assumem o compromisso de lutar como profetas contra
o sistema de idolatria do mercado?' Com a mão direita para o alto, os
presentes responderam: ``Assumimos''. Em termos práticos, essa luta deverá
tornar-se visível no processo eleitoral deste ano. O documento do encontro
recomenda às CEBs que se movimentem para eleger ``políticos comprometidos em
administrações populares, com orçamento participativo.'


FIDEL CASTRO: JESUS CRISTO FOI UM COMUNISTA

O presidente cubano, Fidel Castro, um dos comunistas mais famosos da
história e que teve uma educação católica, diz acreditar que Jesus Cristo
dividia a sua crença política. "Cristo escolheu os pescadores porque ele era
comunista", disse Castro, em comentários transmitidos pela mídia estatal na
sexta-feira. Castro referia-se à escolha de Cristo de ter como discípulos
pescadores simples do mar da Galiléia. Castro, que um dia disse que o
ateísmo estava em queda nos últimos anos, fez o comentário durante o debate
da Assembléia Nacional sobre a indústria de pesca local. Fidel Castro, 73
anos, foi educado numa escola jesuíta em Havana, mas depois da Revolução
Cubana em 1959, ele criou um Estado socialista e oficialmente ateu, tendo se
declarado um descrente. A sua posição acirrou as tensões com a Igreja.(SN)


>VOLTAR<